catolica1

A Igreja de Cristo é católica (1)

Parte 1 de uma palestra sobre o artigo 27 da Confissão Belga para o Encontro da Fé Reformada (Recife), no dia 31 de outubro de 2013.

Hoje celebramos a Reforma. Louvamos a Deus por Lutero, por Calvino e outros reformadores. A Reforma foi um trazer cada um de volta para o que a Bíblia ensina. E tudo isso é também verdadeiro quando tratamos acerca do que pensamos sobre a igreja; de como nós somos igreja. Os reformadores queriam orientar cada um de volta para o que diz a Palavra de Deus no que diz respeito à doutrina da igreja, que é o que chamamos de eclesiologia. Durante o período da Idade Média, deformação foi o que aconteceu no seio da igreja, e essa deformação penetrou profundamente na estrutura da igreja. Muito do pensamento medieval, muitos dos ensinamentos claros das Escrituras foram, por um lado, talvez ignorados, desinterpretado ou reinterpretado para que se encaixasse com aquilo que as pessoas queriam acreditar. Mas o que aconteceu foi que, no início do século XVI, as pessoas começaram a ler a Bíblia; líderes da igreja começaram a ler a Bíblia nas línguas originais, e muitas pessoas comuns começaram a ler a Bíblia na sua própria língua vulgar pela primeira vez em suas vidas. E Deus começou a abrir os olhos de muitas pessoas para mostrar a desconexão entre o que a Bíblia diz e o que muita gente está ensinando.

Este é o motivo pelo qual as confissões reformadas dizem tanto a respeito da doutrina da igreja. Veja a Confissão Belga, por exemplo, escrita por Guido de Brès em 1561. Há seis artigos na Confissão Belga lidando somente com eclesiologia; e são nesses seis artigos que a Igreja Reformada confessa o que a Bíblia diz sobre a Igreja de Cristo. Assim como nos dias da Reforma, hoje em dia também existem muitas águas turvas no que diz respeito ao conhecimento de eclesiologia; existe uma ausência de clareza no entendimento referente à eclesiologia. Há muitas vozes lá fora dizendo tantas coisas diferentes, que chegam até a nos confundir. Essas vozes dizem coisas confusas a respeito do que a Igreja é, do que a Igreja é chamada a fazer, ou onde a Igreja pode ser encontrada; e até mesmo se é necessário uma igreja para crentes! Por isso, quero explorar, junto com vocês, durante a minha sequência de palestras, o que a Confissão Belga tem a dizer sobre o conceito de eclesiologia. Farei um comentário da Confissão Belga e das suas raízes, suas origens. Primeiramente, ela é baseada naquilo que a Bíblia ensina; é um sumário de ensinos bíblicos. Você pode fazer uma comparação e ver que é como se ela fosse um tipo de um mapa sobre o que ensinam as Escrituras. Neste mundo, completamente recheado de confusões e de pensamentos equivocados, precisamos ser orientados pelas Escrituras; voltar aos ensinamentos de Deus. Precisamos voltar à verdade completa de Deus, também no que diz respeito à doutrina da igreja.

Então, iremos começar, hoje à noite, no artigo 27; o que a Confissão fala sobre a catolicidade da igreja. Mas quero deixar algo bem claro desde o início da palestra, Igreja Católica não é a mesma coisa que tratar da Igreja Católica Romana. A palavra católica foi “roubada” pelos católicos romanos. Eles não têm direito a esta palavra, pelos menos no que diz respeito ao sentido bíblico desta palavra. A palavra católica simplesmente significa universal. Vou gastar um pouco mais de tempo para dizer o que ela significa: a palavra católica é uma palavra muito bonita e precisamos fazer o máximo que pudermos para reclamá-la de volta para a Igreja verdadeira. É exatamente por isso que quero, não exortar, mas sugerir que não utilizem a palavra católico para aqueles que são romanos, que estão debaixo do reinado do papa. Não utilize a palavra católico para se dirigir a uma escola ou qualquer coisa que esteja debaixo do reinado do papa. Se você precisa utilizar algum termo, então utilize Católico Romano, mas não simplesmente chame católico, porque eles não são católicos de verdade.

Então, esse artigo lida com a Igreja Cristã Católica. Nós estamos tratando no sentido mais amplo possível da palavra igreja, no que diz respeito às Escrituras. Geralmente, quando as Escrituras falam de igreja, elas falam no sentido mais específico, no sentido de congregação local, mas quando estamos falando do termo catolicidade, estamos fazendo um zoom alto, estamos nos afastando e vendo a figura como um todo. E essa figura, como um todo, envolve todos os verdadeiros cristãos; são exatamente todos esses verdadeiros cristãos que fazem, juntos, a igreja católica verdadeira.

Há quatro coisas que observaremos:

1. O ajuntamento dessa igreja

2. Os membros dessa igreja

3. Os atributos dessa igreja

4. A localização dessa igreja

Continua…

Este artigo foi gentilmente cedido por umdiscipulodecristo.wordpress.com.

Share this post